Sites Grátis no Comunidades.net
Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
  • Currently 3.01/5

Rating: 3.0/5 (450 votos)



ONLINE
1





Partilhe esta Página


Diga não ao Plagio
Diga não ao Plagio

 

plágio é o ato de assinar ou apresentar uma obra intelectual de qualquer natureza (texto, música, obra pictórica, fotografia, obra audiovisual, etc) contendo partes de uma obra que pertença a outra pessoa sem colocar os créditos para o autororiginal. No acto de plágio, o plagiador apropria-se indevidamente da obra intelectual de outra pessoa, assumindo a autoria da mesma.

Etimologia

A origem etimológica da palavra demonstra a conotação de má intenção no acto de plagiar; o termo tem origem do latim plagiu que significa oblíquoindirectoastucioso.[1] O plágio é considerado antiético (ou mesmo imoral) em várias culturas, e é qualificado como crime de violação de direito autoral em vários países.

Plágio não é a mesma coisa que paródia. Na paródia, há uma intenção clara de homenagem, crítica ou de sátira, não existe a intenção de enganar o leitor ou o espectador quanto à identidade do autor da obra.

Para evitar acusação de plágio quando se utilizar parte de uma obra intelectual na criação de uma nova obra, recomenda-se colocar sempre créditos completos para o autor, seguindo as normas da ABNT, especialmente no caso de trabalhos acadêmicos onde normalmente se utiliza a citação bibliográfica.

No Brasil

No Brasil o plágio é considerado crime e sua principal referência é a lei 9.610. Todavia, a lei 9.610 é voltada para a proteção de obras comerciais. Segundo essa lei seria possível copias "pequenos trechos", o que é inadmissível em um trabalho acadêmico. Para fins de trabalho acadêmico é mais adequado seguir-se as normas da ABNT, que não admitem exceções para textos copiados.

Viena, 1931: carta a um plagiário

O que pode fazer o autor quando é vítima de plágio? Erwin Theodor Rosenthal, eminente germanista,ensaísta e tradutor, que, em 2005, foi vítima de um notório caso de plágio da sua tradução de A Origem da Tragédia (publicada em 1948), relata um outro caso, ocorrido em 1931, em Viena, quando o escritoraustríaco Egon Friedell (1878 - 1938) escreveu ao seu plagiador, um certo Anton Kuh, uma memorável carta aberta, com o seguinte teor:

Prezado Senhor,
Foi surpresa verificar que resolveu publicar a minha humilde estória, "O imperador José e a Prostituta", tal como a escrevi, com o acréscimo das três palavras: "Por Anton Kuh" , na publicação Querschnitt. Honra-me sem dúvida o fato de sua escolha ter recaído na minha estorinha, quando toda a literatura mundial desde Homero se encontrava à sua disposição. Teria gostado de retribuir na mesma moeda, mas depois de examinar toda a sua obra, não encontrei nada que tivesse vontade de subscrever. (ass) Egon Friedell.

Casos notáveis de plágio

Literatura científica

  • a editora brasileira vem sofrendo diversas acusações de plágio provenientes de diversas traduções. Em 2000, ela respondeu a uma intimação judicial da , reconhecendo posteriormente ter usado uma parte das traduções de para três novelas de (1883-1924): "", "" e "". Já em 2007, por sua vez, a obra , de Platão, tinha a tradução assinada por Pietro Nassetti, mas na verdade o texto é uma adaptação com pequenas mudanças da tradução de Maria Helena da Rocha Pereira, uma das maiores especialistas portuguesas em . O editor Martin Claret, dono da Editora Martin Claret, admitiu que sua edição de , é plágio da edição da Fundação Calouste Gulbenkian. Há ainda a suspeita de que alguns outros livros da editora usem traduções plagiadas. O caso é parcecido com o plágio das traduções publicadas pela .Editora Martin ClaretCompanhia das LetrasModesto CaroneFranz KafkaA MetamorfoseUm Artista da FomeCarta ao Pai[2]A RepúblicaGrécia Antiga[3]A República[3][2][4]Editora Nova Cultural[5]
  • o atual é acusado de ter copiado quase literal a maioria do texto da sua dissertação do livro „Strategic Planning and Policy“ (de William R. King e David I. Cleland, professores da , publicado em 1978).Presidente da RússiaVladimir PutinUniversidade de Pittsburgh[6]
  • Stephen E. AmbroseDwight D. EisenhowerRichard Nixon, escritor estadunidense e biógrafo dos presidentes dos Estados Unidos e , copiou em muitas das suas obras passagens completas de outros autores.[7]
  • Silvana Koch-MehrincrowdsourcingUniversidade de Heidelberga tese da política alemã , defendida em 2001 com o título 'Historical Currency Unions between Economy and Politics', foi analizada usando o esforço , sendo ela acusada de plágio. Como consequência, em 11 de maio de 2011 ela renunciou ao cargo de presidente do FDP no Parlamento Europeu e de vice-presidente do Parlamento Europeu, alegando querer encerrar a crise que o inquérito trouxe à sua família. Ela permanece membro do Parlamento Europeu, e continuou a usar o título de doutor. Em 15 de junho de 2011 a rescindiu oficialmente seu título de doutorado, devido a plágio descarado.[8][9][10][11][12][13][14]
  • Karl-Theodor zu Guttenbergdoutor em direitoUniversidade de Bayreuthdoutoradoo político alemão , na época , foi acusado em fevereiro de 2011 de plágio e ficou sem o seu título de . Ele havia obtido o título em 2007. A retirou de Karl-Theodor zu Guttenberg o título do em 22 de fevereiro de 2011. Isto valeu a ele pelo menos duas queixas na justiça, e o apelido de "Barão copia-cola" e "Barão von Googleberg". Em 1 março de 2011 Karl-Theodor zu Guttenberg anunciou sua renúncia como ministro da Defesa de Alemanha e da renúncia do mandato parlamentar.ministro da Defesa da Alemanha[15][16]
  • o político e (ex-) presidente da teve o seu título de doutorado retirado em março de 2012 pelo Conselho de Doutores da Universidade de Medicina "Semmelweis". Em 2 de abril de 2012 anunHciou que irá renunciar ao cargoungriaPál Schmitt[17]

 


Cedido por http://pt.wikipedia.org/wiki/Pl%C3%A1gio


Todos direitos reservados norma pelas leis da ABNT